Passar para o conteúdo principal

Lusotopia, o I festival da lusofonia em Crosne, Paris

Realizou-se pela primeira vez este fim de semana em Crosne (91), na região parisiense, o Festival “Lusotopia”, com o objetivo de dar a conhecer a cultura Portuguesa e a toda a riqueza cultural dos países lusófonos.

De Portugal esteve uma delegação com cerca de 20 Caretos de Podence, que espalharam a sua magia pelo recinto do evento, chamando a si as atenções com os seus fatos coloridos e surpreendendo os presentes com os seus chocalhos, sabendo que é nesta vila de Paris que está a grande maioria dos emigrantes da aldeia de Podence, cerca de 90%, será assim também uma forma de os homenagear.

Estas figuras histriónicas são agora os representes máximos da cultura portuguesa, e transportam por de trás de cada mascara o orgulho do recém reconhecimento da UNESCO, o peso do fato agora duplicou e isso sente-se na forma e no carinho com são tratados pela organização e pelos lusodescendentes, com o estatuto de verdadeiras vedetas, na sexta-feira aconteceu um jantar espetáculo onde os convidados de honra eram os Caretos de Podence.

A Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, esteve presente na receção e no jantar solidário da Coordenação das Coletividades Portuguesas de França, cujas verbas revertem a favor de uma instituição cabo-verdiana de apoio a crianças.  

A Secretária de estado explicou que o objetivo da deslocação a França é falar sobre o Plano Nacional de Apoio ao Investimento da Diáspora, com as Empresas francesas a ter cursos de português.

"O objetivo é que as câmaras de comércio, os clubes de empresários e as associações empresariais possam trabalhar connosco os conteúdos, para a criação de "cursos direcionados para empresários ou quadros de empresas que queiram aprender o Português mais direcionado para os negócios".

"Isso é importante, uma vez que estamos a trabalhar para a atração de investimento para Portugal. E o facto de a língua portuguesa ser cada vez mais falada no hemisfério sul e em vários continentes faz com que haja também uma procura na área dos negócios", salientou.

O festival da Lusotopia incluiu música de vários países lusófonos, gastronomia e debates à volta da lusofonia em Crosne, no sábado e no domingo, acontecendo em cooperação com a associação Hirond’ailes e com a Coordenação das Coletividades Portuguesas em França (CCPF).

Ao mesmo tempo decorreu de forma paralela uma exposição de pintura e escultura inspirada pelos países de língua oficial portuguesa numa galeria local, na quinta-feira vai ser mostrado o documentário “Morabeza, la force du mouvement”.

Na organização estiveram várias associações de Portugueses, que receberam de forma inexcedível a delegação dos caretos, que era composta por cerca de 20 elementos, entre caretos e gaiteiros “Zanganitos”, com o mais novo careto, o Leandro com 15 anos, e Egas Soares com 66 anos.

Leandro veste o fato de careto desde os 12 anos no carnaval, agora acompanha com alguma regularidade todas as saídas, incentivado pelo Zezinho, gosta de ser careto, diz “ sinto-me diferente quando visto o fato, sinto-me uma personagem diabólica, posso fazer tudo o que eu quero, e estou mais à vontade” , quanto ao reconhecimento da Unesco diz “ser uma mais valia para nós, ajuda-nos muito a ser conhecidos em todo mundo”.

Por seu lado Egas Soares, o decano dos caretos, começou a andar vestido de careto à 25 anos, numa receção ao Presidente da República Jorge Sampaio, e quer vestir o fato até a saúde o permitir e tiver forças, “é uma adrenalina maluca, nem imagina”, “desde o meu batismo de careto com o tio Albano com uma caneca por cabeça”.

Devido à sua estatura, para o fato feito pelo Manuel alfaiate, foram precisas duas colchas antigas cedidas pela sua mãe, que ainda hoje veste com orgulho, as franjas foram feitas pelas mulheres da aldeia. Já venceu dois cancros e agora as saídas dos caretos são a sua prova de esforço, “o reconhecimento pela UNESCO, dá-nos mais responsabilidade, porque nós não representamos só o nordeste transmontano, nós agora representamos Portugal inteiro e se gostaram de nós, nos agora temos que retribuir”.

Um grupo de gaiteiros também acompanhou os caretos “os Zanganitos”, composto por três elementos, o Leonel Ranção (bombo), Ricardo Canedo (caixa de guerra) e Cristina Machado (gaita de foles) e definem-se como um grupo de música tradicional Portuguesa e ajudam os caretos com musica de fundo e acompanhamento musical nas performances dos caretos, sendo que a base musical “é sonoridade tradicional Portuguesa, muito da zona de Trás-os-Montes e sobretudo de Miranda do Douro”

Para o presidente da Associação de Caretos de Podence, António Carneiro, diz que quer “dar um agradecimento à comunidade Portuguesa que tão bem nos recebeu, de uma forma muito grata e que a presença dos caretos aqui em Paris é uma forma de dar a conhecer a nossa cultura e tradição, e agora depois de reconhecida pela UNESCO ainda com mais estímulo e orgulho”.

A poucos dias do entrudo chocalheiro António insiste que “o que mais importa é manter a matriz da tradição, de um carnaval genuíno no entanto para precaver o futuro é necessário implementar uma pequena novidade, pela primeira vez vamos organizar um desfile de facanitos, temos que apostar nos mais pequenos que serão os grandes garantes da tradição no futuro breve prazo”.

Fonte: Diário de Trás-os-Montes

https://www.diariodetrasosmontes.com/reportagem/lusotopia-o-i-festival-da-lusofonia-em-crosne-paris




Outras Notícias